no ,

De(ath)Sign: Entrevista com Marcos Cintra (autor/desenhista da série).

Muitos leitores conheceram as tiras do De(ath)sign aqui no blog e logo se identificaram com os personagens e situações vividas, eu não fui excessão, navegando na internet encontrei sem querer uma das tiras, em algumas horas já tinha lido todas!

Depois de algum tempo enviei um e-mail para o autor, elogiando e propondo uma parceria para divulgação das tiras, ele topou e desde então os leitores conferem todas as sextas uma tira do De(ath)Sign, mas ainda faltava alguma coisa, apresentar o autor/desenhista da série, o Marcos Cintra!

Entrei em contato com ele fizemos uma rápida entrevista para vocês conhecerem um pouco mais do que rola por trás de cada tira do De(ath)sign diretamente do seu autor, espero que gostem! 🙂

TP: Muitos leitores do TP adoram as tiras do De(ath)sign mas conhecem pouco sobre seu autor, poderia nos contar um pouco mais sobre você?

Marcos Cintra: Hmm, o que falar? Tenho 30 anos, sou formado pela Universidade Mackenzie, em São Paulo. Entrei no curso de Desenho Industrial pra tentar aprender técnicas e me tornar ilustrador, mas quando tive aulas de vídeo e desenho animado, descobri o que queria fazer da vida de verdade. Dei sorte de conseguir uma entrevista no último ano de faculdade com a ajuda de uma colega de classe, e estou aqui até hoje! Fora isso, gosto de jogos, toco guitarra e faço kung-fu. Sim, de verdade.

TP: De onde veio a ideia de criar o De(ath)sign.

Marcos Cintra: Basicamente, das piadas que a gente sempre fazia xingando os clientes sem noção; em algum momento, alguém falou que isso daria um quadrinho legal, e eu fiquei com isso na cabeça. Um dia, enquanto tava esperando um render de 3D de um freela (às 3 da matina), tive a idéia pro nome e logo; foi assim que saiu a primeira tira. O resto é história!

TP: Qual sua tira favorita e qual foi a que deu mais trabalho para ser feita.

Marcos Cintra: Em ambos os casos, acho que a última da saga do Kung fu. Eu gosto bastante dela de um ponto de vista gráfico… Mas ela foi a mais trabalhosa também porque uma queda de energia quebrou o arquivo original quando ela já estava un 70% pronta, e eu tive que recomeçar ela do zero, hahaah!

TP: Já vi alguns vídeos do De(ath)sign, em formato animado, esse será o futuro da tira ou você pretende continuar no formato HQ mesmo?

Marcos Cintra: Não não não, nem fodendo! Se virar animação, o DS vai passar a ser anual, hahahaah! Provavelmente vou fazer mais algumas de vez em quando, mas não esperem muito. O DS é um quadrinho e vai continuar assim! O que não quer dizer que eu não vá soltar OUTRAS animações qualquer hora…

TP: Como é o processo de criação das tiras?

Marcos Cintra: Bom, o primeiro passo (e o que eu mais enrolo) é o roteiro. Eu pego alguma idéia, evento, causo ou o que seja e tento transformar em algo com começo, meio, e punchline – o que é mais difícil do que parece. Muita coisa extremamente engraçada quando você está contando pros amigos não é tão fácil de colocar em meia dúzia de quadros… Mas anyway. Eu faço tudo, inclusive o roteiro, direto no Photoshop. Depois de definir o diálogo, já no meu template, eu dou uma mini diagramada e crio um layer de rough, onde eu diagramo os personagens, cenários e quadros. Quando isso tá bom, eu faço um layer com a arte final por cima. Depois, dentro de uma pasta, eu faço as cores em alguns layers (costumo dividir em pele, cabelo, roupas e outros). Normalmente eu faço um layer vermelho RGB por baixo de tudo pra enxergar bem o contraste com a arte. Com as cores prontas, eu faço os cenários, que diferente da arte, são apenas shapes que eu faço com o lasso poligonal. Depois disso, eu faço um layer em multiply, carrego a seleção dos layers de cores e da arte, e crio um layer mask. Nesse layer, eu pinto as sombras, com um cinza escuro. Por fim, eu faço os balões de texto, rediagramo os diálogos se necessário, e faço uma cópia em jpg. E tá pronto!

TP: Clientes costumam ler as tiras do De(ath)sign? 😀

Marcos Cintra: Hahahahah, espero que os meus não! Mas já recebi e-mail de um cara que é, e disse que tenta aprender o que não fazer com o DS! Olha lá, De(ath)sign, tornando o mundo um lugar melhor!

TP: Além do De(ath)sign você possui (ou já teve) algum outro projeto no mesmo estilo?

Marcos Cintra: Eu e o Igor até começamos a fazer uma história juntos, cada um desenhando um pedaço. Mas a gente ia fazer no papel, escanear e tratar tudo… E eu fiquei com preguiça, então acabou desandando :p
Eu tenho um projeto no forno que pode um dia até sair, mas me conhecendo, vai sair depois da copa… De 2014.

TP: Para finalizar qual mensagem você gostaria de deixar para os leitores do TP?

Marcos Cintra: Marcos Real: Nunca faça qualquer merda, mesmo pro cliente mais filho da puta e pro trabalho mais de merda que for. Sempre tente fazer o melhor que puder. Use técnicas novas, aprenda, invente, o que seja; nunca se dê por satisfeito!

Marcos do De(ath)sign: … Na primeira versão. Quando vier a refação, ligue o foda-se!

Abrassssssss!

M

Agora aproveite e visite também o site doDe(ath)sign para conferir algumas tiras!

Escrito por André Sugai

Publicitário, Photoshopista, criador do Tutoriais Photoshop, venceu o prêmio iBest na categoria tecnologia em 2008 e dois prêmios de criatividade da Adobe. Ex-colaborador do Tech Tudo (http://Globo.com), iMasters (UOL) e Revista Photoshop Creative.

Um comentário

Deixe uma resposta
  1. Legal… a entrevista… a idéia, e a arte das tiras são muito boas… virei fã… muito sucesso e que renda muito mais tiras ao logo do tempo… !!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + dezenove =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Inspiração – Artistas do Photoshop – Allan Amato.

Out Of A Forest, animação indicada por Léo “Ruffus”.